sexta-feira, 2 de maio de 2008

Às vezes pergunto-me

Será a Sara demasiado dramática/fatalista ou serei eu demasiado paciente/optimista?
Porque a verdade é que, quando abre a goela, o Minúsculo grita muitíssimo mais alto que o M., hoje bem ouvi. hummm : )

8 comentários:

Sara disse...

Hum..essa dicotomia não está muito correcta. Eu também sou paciente e também ser optimista, da mesma forma que tu tens os teus momentos dramáticos e fatalistas. Talvez o mais correcto seja dizer que tu encaras as contrariedades com maior optimismo e não te ponhas tanto em causa como mãe como eu (infelizmente) faço. Acresce ainda o facto de que como tu estás com o Minúsculo em casa e eu trabalho e por isso tenho o M na creche, as coisas variem muito por aí.
Ainda assim, acho que ambas temos feito um bom trabalho :D

morgy disse...

Opá, eu ainda não conheço a Sara, mas sinceramente o que eu acho é que tu és muito Zen, tá sempre tudo na boa, o filho é sempre lindo e maravilhoso mesmo que esteja a gritar e a atirar tudo ao chão :)
E a verdade é que a acompanhar-te até tenho aprendido a ser um pouco mais Zen também.

Su disse...

Acho que ambas as hipóteses devem estar correctas, apesar de só vos conhecer virtualmente, mas também me parece que a pediatra é demasiado alarmista e um tanto ao quanto exagerada nas soluções que propôs...
5 minutos a chorar no parque porque fez uma asneira? O que é uma asneira para um bebé de um ano? Fazer uma birra?
Acho bem mais importante tentar perceber porque é que está a chorar e tentar ajudá-lo. E principalmente acho que o choro deve ser sempre acarinhado e apoiado. Quando estamos em baixo, não é melhor chorar abraçado a alguém? Isso não nos ajuda a ultrapassar a crise?
Desculpem o longo texto, mas há coisas que os médico dizem que podem condicionar por completo a relação que os pais têm com os filhos e isso é não me parece aceitável.

Manhã de Inverno disse...

Não vos acho nem demasiado uma coisa nem demasiado outra. São diferentes, simplesmente.

Eu sou mais do estilo zen, encaro estas coisas das birras e outras chatices com mais naturalidade, por isso também achei a médica um nadinha exagerada. Há coisas que fazem parte. Simplesmente. Cá em casa já temos um pai mais alarmado com as pequenas coisas, por isso acho que também sou assim para equilibrar.
:)

E também acho que estão as duas a fazer um óptimo trabalho, apesar de só conhecer a Tatas e o Minúsculo, não tenho dúvidas que a Sara é uma excelente mãe e o M é um excelente filho ;)

Sonia&Mi disse...

:)))

ritaR disse...

vocês são um óptimo contraponto uma da outra :-)
eu tenho dias de sara
e dias de supertatas

houve, até agora (apenas) um dia em que senti que o choro do sebastião estava prestes a tornar-se insuportável para mim, estava cansada e triste com "coisas minhas" e queria espaço para me arrumar. de resto, eu funciono a preparar-me para o pior mas esperar o melhor e até agora nada tem sido terrível. já temos um dente, dormimos bem dd o 1º mês e sorrimos muito :-) um dia depois do outro. o pior foi a recuperação física do parto e a relação com a minha sogra, tudo o resto tem sido surpreendentemente fluido.
:-)

Patrice disse...

Acho que também tem a ver com o "princípio" da coisa, salvo seja. Ou seja, o planear e o surgir, o idealizar e o "deixa lá ver o que sai daqui", se é que me faço entender. É uma questão de postura perante o futuro, a vida.

Mas, e aqui fala a voz da experiência, infelizmente, as coisas não são quase nunca como desejamos e há que encarar um dia de cada vez, com a maior sensatez possível. É a viver cada experiência que aprendemos a lidar com o momento seguinte.

Por isso eu digo que o "by the book" é treta. A vida é uma caixinha de surpresas (boas e menos boas) e não há um único livro que tenha conselhos para todas.

Beijos às 2 e aos 2 pelo vosso Dia da Mãe

Mamã Pirata disse...

Bom n conheço nenhuma das duas pessoalmente mas gosto mto de as ler e aprendo mto com elas.

Acho que ambas as Mães fazem um excelente trabalho e nota-se mto bem que têm bebés felizes.
Como alguem já disse as birras fazem parte do crescer deles.Nós tb fizemos...

Como tudo na vida,existem pessoas ,mais pacientes,firmes...descontraidas...super-hiper-preocupadas...existem as que levam a vida na boa...

Somos todos diferentes ,todos iguais.

Bjs aos babes.