terça-feira, 27 de maio de 2008

E o mais inacreditável...

Continuando a saga que iniciei no post anterior, decido relatar que falei com a pediatra do M. hoje ao final do dia. A conversa que iniciei com ela por telefone, num tom (apesar de tudo) calmo, descambou.
Liguei-lhe para lhe dar conta do que se tinha passado, que tinha decidido ir a um especialista não obstante o que ela me tinha dito. Disse-lhe que diagnóstico é que lhe tinham dado. A partir daí foi um descalabro. Elevou o tom de voz, dizendo que agora eu já devia estar contente porque afinal de contas o que eu queria era que o M. tomasse antibiótico porque eu, como a generalidade dos pais não aguenta a febre dos filhos. Disse ainda que de gargantas de bebés percebia ela e que o M. não tinha amigdalite nenhuma, que tinha sido um disparate completo eu dar-lhe antibiótico.
Disse-me que nunca mais me queria ver a mim ou ao meu bebé no seu consultório, uma vez que a partir de hoje a relação de confiança que tínhamos teria acabado e que esperava que o M. nunca tivesse uma infecção grave porque com a quantidade de antibióticos que daí para a frente ele iria tomar, nunca iria ficar bom.
Expliquei-lhe, sempre num tom calmo, que a minha confiança não terminou, apenas optei por saber a opinião de um especialista. Disse-lhe ainda que lhe estava a ligar para lhe comunicar que ERA EU que não queria que ela visse mais o meu bebé e não o contrário. Era eu que via o meu filho a ficar cada vez mais prostrado e com febre e não ela. Continuou aos gritos até que eu educadamente disse "com licença, vou desligar".
Eu esperava que ela se sentisse posta em causa. Esperava que ela não quisesse continuar a ver o M. Mas jamais pensei que ela atingisse o baixo nível que atingiu. Ela sabe que errou e estava à espera do telefonema porque começou com 3 pedras na mão. O diagnóstico que fizeram ao M. é claro como água: ou tem pús na garganta e é uma infecção que precisa de ser debelada ou não tem pús e a inflamação passa. Mas não estava a passar e eu nem quero pensar nas consequências que isto poderia ter tido se eu tivesse deixado andar mais tempo.
Não querendo estender este post, assim que o M. ficou com febre, eu liguei à pediatra e sempre por telefone, ela foi dando indicações. Como, passado 72 horas ele não melhorou e continuou prostrado e com febre, telefonei-lhe e insisti para que o observasse. Fui eu que insisti, para saber se havia complicações da parte respiratória (porque ele já teve uma bronquiolite) ou da parte dos ouvidos e garganta (porque já teve uma otite e uma estomatite).
Sinto-me defraudada. E temo, temo porque esta médica em quem eu depositava a máxima confiança e que, verdade seja dita, até este episódio nunca me deu razões de queixa porque sempre foi atenta e disponível, demonstrou uma presunção, uma omnipotência e um fundamentalismo que são assustadores. Como me disse hoje o otorrino: será que ela trata os filhos dela assim?
Agora vou marcar consulta noutro pediatra e esperar que pelo menos seja mais humilde.

15 comentários:

rita disse...

Isso é gravíssimo. Quantos falsos diagnósticos já não terá feito e sabe-se lá com que consequências. Infelizmente nem toda a gente é como tu, que percebeste que alguma coisa estava mal e agiste. Ainda há muita subserviência em relação aos médicos; não se questiona a sua competência, não se procura uma segunda opinião e deus me livre telefonar-lhes e dizer-lhes q afinal se enganaram.
Essa mulher é um perigo. Deve ter tirado o curso na mesma universidade do Sócrates.
As melhoras do pequenito.
Bjs

AnaBond disse...

Olá Sara.

Fiquei chocada.
Se fosse a ti, tentava fazer queixa dela. Claro que o mais provável é não acontecer nada, mas ao menos tentava.

Infelizmente há médicos que receitam demais antibióticos e depois há outros como essa... e que, ainda por cima, não sabe admitir quando erra. O problema é que estes erros muitas vezes originam problemas bem maiores.
Qualquer pessoa pode errar.... mas daí a não admiti-lo, principalmente nesta profissão... ui.

Eu estaria furiosa. Suponho que também devas estar. Não só por não ter admitido mas também por dizer barbaridades como daqui para a frente ele vai tomar muitos antibióticos e nunca iria ficar bom.
No minimo, partia-lhe as perninhas todas ;)
(just kidding)

Ka nervos!!!

Mamã Pirata disse...

Como Mãe estou revoltada ,ela merecia que fosse pro consultorio contar o sucedido aos outros pais.
N se admite tamanha estupidez principalmente cm um anjinho.

Sara ,agora ele está medicado e se Deus quiser vai ficar bom.Relaxa deves estar uma pilha de nervos.

Entre os teus amigos n tem um bom pediatra?
Às vxs falando á sempre quem dê uma dica.

O meu é mto bom ,inclusiver vêm pessoas fora do Porto lá.Mas pra vcs é longe claro.Senão dáva-te o nr dele.

Desejo as rápidas melhoras,um bj de Mãe.

morgy disse...

bolas, nunca vi nem nunca imaginei tal coisa!
A nossa pediatra às vezes ligo-lhe mas sempre que acho que não dou conta do recado e quero mesmo que seja observado e auscultado passo pelo consultório e ela vê-o logo, sem problemas, sem me chamar maluquinha e felizmente até agora o mais grave que ouvi foi: "ah pois é já tem muita porcaria cá em baixo, têm de fazer palmadinhas, já lhe expliquei como se faz não já? Ou prefere que vão lá a casa fazer?"
Tenho uma colega que também começou a levar a filha dela lá agora. Antes de lá irem pela primeira vez tinham levado a miúda ao hospital onde receitaram antibiótico. Quando a pediatra a viu discordou do antibiótico, mas já que o tinha começado disse para não interromperem.
A sério, estou "appalled" é que nem consigo encontrar a palavra exacta em português para isto.

carla alexandra vendinha disse...

o mais importante é que confiaste no teu instinto e foste a um especialista. e o segredo está aí, confiar no nosso instinto e mais nada! boas melhoras. é horrivel vê-los doentes.

Belita disse...

O livro de reclamações serve para alguma cois, usa e abusa dele, senão faz queixa à ordem dos médicos.
Eu nem pensava duas vezes, assim, é que as coisas não ficavam...

Beijinhos

ritap disse...

Como é possivel?! Faz queixa na ordem por ti e por todos outros bébés...

Patrice disse...

Também acho que devias apresentar queixa.

E espero que o M. recupere rapidamente pq isso sim é o mais importante!

Beijinhos

Alexamaral disse...

Estou escandalizada com a postura da médica! Não tenho muito mais a dizer... uma tristeza!

nasnuvens29 disse...

Se precisar este é o nome do pediatra do meu David. Dr. Luis Marçal ele dá consultas no Hospital São Francisco Xavier e até agora não tenho tido nenhum problema com ele.È bom médico.
As melhoras do seu filho....

Ana disse...

Eu sinto-me tentada a perguntar o nome dela..
É impressionante a prepotência desses médicos, que se acham melhores que os comuns mortais!
Eu fazia queixa..pfff

Mãe do Miguel Afonso disse...

É um comportamento verdadeiramente vergonhoso e indigno de um profissional de saúde.
Devias dizer o nome dela para que ninguém corra o risco de passar pelo mesmo.

Beijos e as melhoras do teu pequenino,
Ana

Sonia,Filipe e Guilherme disse...

Bem....estou chocada.
Realmente há pessoas que não merecem o emprego que têm.
Eu penso e concordo que deverias tentar fazer queixa. Imagino os bebés que ela não anda a deixar ao descuido. Meu Deus...
Olha...se ajudar, a pediatra do Guilherme é a Dra. Ana Boto, na CUF Descobertas.
Mil beijinhos e tudo de bom.
Vai passar depressa vais ve4

Anónimo disse...

O meu nome é Patrícia e já comentei algumas vezes... O meu pensamento e o meu amor de mãe estão contigo! Já passei por algo semelhante (não tão grave) e arrependi-me de não ter feito queixa, pelo menos no hospital onde fui atendida pela pediatra!
Continua a responder aos teus instintos de mãe, independentemente do que te possam chamar! Nunca é demais o zelo!!! Boa sorte e as melhoras do filhote!!!
Patrícia e Madalena

Mãe da Tiz disse...

Estou parva!!! Ainda bem que procuraste uma 2ª opinião!!! Eu tb vou procurar uma 2ª opinião para a Tiz, ela está doentinha há já algum tempo... nem sei bem o que fazer!!!
O meu coração de mãe está 100% solidário contigo!

As melhoras super rápidas!!!

Beijos