quinta-feira, 29 de maio de 2008

Diversos

  • Serviço Público
Queria deixar aqui a informação acerca do Hospital Egas Moniz onde o M. foi visto por um otorrino.
Ainda que eu seja um pouco avessa ao atendimento em urgência, porque os médicos não conhecem o bebé, o seu historial etc, era imperativo que ele fosse visto por um especialista e ainda bem que foi. Quando lá fui nem 5 minutos esperámos.
O serviço de urgência de Otorrino do Hospital Egas Moniz funciona todos os dias úteis das 08.00h às 20.00h.
O contacto telefónico é 21 043 22 35.
  • A saúde do M.
O M. está a recuperar lentamente. Já está a comer melhor, mas ainda o acho muito prostrado.
Entretanto já marquei consulta noutro pediatra, do qual tenho as melhores referências porque é o da minha sobrinha.
  • Queixa da médica
Queria também deixar claro que a razão pela qual não faço queixa da médica é uma razão cobarde e é pela cobardia dos utentes e doentes que os médicos vão saindo impunes das incompetências que exercem. Não farei queixa porque a médica é pediatra neonatologista do Hospital onde tive o M. e onde provavelmente terei um segundo bebé. É a única razão. Além disso e apesar de reconhecer que o seu procedimento foi negligente, ela foi acima de tudo incorrecta e malcriada o que, por si, não dará qualquer resultado numa queixa formal. É evidente que se tivesse sido algo ainda mais grave, não hesitaria.
Para mim é uma página virada.
Obrigada a todos.

14 comentários:

Belita disse...

É uma decisão só tua, mesmo que eu não concorde!!!

Bjs

Lara disse...

A minha filha é seguida em otorrino no Egas Moniz! Eles são espectaculares. Sem luxos e mordomias, é certo, mas tratam muito bem das crianças e têm dos melhores profissionais do país!

Su disse...

Não conheço o serviço do Egas Moniz, mas fui lá dar sangue uma vez e pareceram-me todos muito humanos!

Quanto à queixa médica, a tua razão é válida... infelizmente...

Essa médica podia ter sido culpada de um desfecho menos feliz e nem consegue pedir desculpa! Quantos outros bebés terão tido sorte diferente? Quantos ainda lhe irão passar pelas mãos? Felizmente que quem segue os meus filhos é um homem , logo não é essa besta!

As melhoras e um beijo!

Mamã Pirata disse...

O teu menina está a recuperar é o que importa contudo se ela é médica de neontologia a meu ver mais uma razão para ser "profissional".Contudo respeito a tua decisão.
As melhoras do teu bebé...pq isso sim È O IMPORTANTE ,ele ficar bom.

bj.

Manhã de Inverno disse...

Espero que o M. recupere rapidamente.

Em relação à queixa, percebo e acho que tens razão.

O que vos aconteceu é um bom exemplo de como se deve estar atento a estas coisas e não seguir sempre religiosamente o que os médicos dizem, sem nunca duvidar.

Ainda bem que o teu filho tem uma mãe atenta e que pensa pela própria cabeça.

MM disse...

Tens razão, a médica foi malcriada. Mas já agora gostaria de saber onde tiraste o curso de medicina, porque esqueceste-te de estudar alguns capítulos:
-basta um dia (ou menos...)para uma infecção viral se transformar numa bacteriana.Por isso, o pus que o otorrino viu podia não estar lá no dia antes, quando a médica o observou
-Nem todas as infecções bacterianas precisam de antibiótico. Respondendo ao comentário do otorrino sim, é assim que tratamos os filhos.O meu filho- da idade do teu- já tratou 2 otites sem antibiótico.
-è mesmo verdade que o uso de antibióticos pode levar a complicações graves no futuro.

E já agora, os médicos do privado, normalmente, são os mesmos do público. Muda a hotelaria e pouco mais...

Sara disse...

mm:
Obrigada pelo seu profundo (e anónimo) conhecimento.

ritaR disse...

querida sara,
um beijinho para ti e as melhoras do M.
:-)

Anónimo disse...

O que eu gosto nos blogues é o à vontade com que podemos entrar na vida das pessoas e partilhar e aprender com elas!!Pelo comentário que a «mm» fez deduso que seja médica, que se sentiu de alguma forma ofendida pelos comentários que viu, referentes a uma situação que poderia ter sido grave!
Gostaria apenas de referir, que tudo o que disse faz sentido, se for aliado a uma simpatia e coerência profissional, dito assim, até parece que todas as mães que não tem um diploma em medicina não têm o direito de opiniar sobre a saúde dos seus filhos!? Portanto o profissional é que faz o profissionalismo e há os bons e os maus!!! E é verdade os do privados são os mesmos do público, mas dito com conhecimento de causa (pois já passei pelo mesmo) uma sala própria faz muita diferença num profissional de medicina!!! Pois já fui assistida por um pediatra nas duas situações e o atendimento não foi igual!
E sem me querer alongar muito, o desabafo da Sara foi mais que válido, o seu deixa-me a pensar que se será boa ou má profissional!...
Patrícia

MM disse...

Como comecei por dizer, a médica foi malcriada. Há boas e más pessoas em todas as áreas-a nossa não é excepção. Só me incomodou ver uma colega ser "chacinada" em público sem a mínima hipótese de se defender, porque as atitudes clínicas que tomou talvez não fossem incorretas de todo- pelo menos não para merecer uma queixa na Ordem!!! Claro que perdeu toda a razão com a arrogância, mas enfim. A verdade é que, desde a TVI até às mães (que, obviamente, têm todo o direito de opinar sobre a saúde dos filhos), somos postos em causa diariamente, como se andássemos uma vida inteira a estudar e a trabalhar para ser "serial Killers" ou afins...
Já agora, não sou assim tão anónima, sou uma leitora assídua do blog desde o tempo das "barrigas"...

Mónica disse...

Ó Sara, estou um pouco preocupada, tudo o que disseste sobre a médica, encaixa-se na pediatra do Tomás.
Eu gostava de te pedir um grande favor: envias-me um mail a dizer o nome da pediatra? Ficaria mais descansada, ou não...
midds3@gmail.com
Obrigada e um bjinho ao M.

Sara disse...

MM:
Se eu quisesse "chacinar" a médica, teria colocado aqui o nome dela. Não o faço porque, até este episódio, ela sempre procedeu de uma forma profissional e disponível, daí a minha surpresa perante a "baixaria" que foi aquele telefonema.
ALém disso, todas as profissões devem ser postas em causa pelas pessoas que recorrem a esses profissionais. Os médicos não estão acima da lei, ainda que às vezes ajam dessa forma e os próprios utentes tenham uma certa tendência para os endeusar.
Finalmente, a médica teve hipótese de se defender quando eu lhe liguei e em vez de o fazer, atacou-me desde logo, como se o meu telefonema já estivesse previsto. Ela percebeu que não agiu de uma forma correcta.
Ah, a minha formação é em Psicologia. Não tenho quaisquer pretensões ao nível da Medicina, sobretudo a este tipo de Medicina que enxovalha e que se crê omnipotente.

Mãe da Tiz disse...

Ainda bem que o M. está a melhorar e oxalá gostem da pediatra nova!

Beijos e melhoras***

ritaR disse...

és muito honesta, sara. :-)