quarta-feira, 30 de abril de 2008

Agora sim, um update

As coisas aqui por casa não andam muito fáceis. Tirei esta semana de férias e para dizer a verdade, preciso de mais uma. O M. está com vários dentes a nascer, a garganta inflamada, os ouvidos inflamados e o nariz entupido. Fruta da época, todos me dizem. Talvez, mas nele, toda esta condição se traduz numa enorme irritabilidade e rabugice.

Hoje foi a consulta de 1 ano na pediatra. ELA NÃO O CONSEGUIU PESAR NA BALANÇA DOS BEBÉS. E porquê? Porque como tem sido hábito nos últimos dias, o M. fez uma verdadeira cena de faca e alguidar. Gritou como se lhe estivessem a fazer muito mal, esperneou, tentou saltar da balança. Conclusão da médica :
- Nunca vi um bebé de um ano a fazer isto. Ele está com uma vitalidade e um voluntarismo que não são normais nesta idade.
Todos nós queremos que os nossos filhos estejam bem e se possível com vitalidade, mas este comentário dela não me deixou contente. Mais adiante na consulta o que ela explicou é que ele em vez de entrar na fase das birras aos 15/18 meses, está já nessa fase. Até aí já tínhamos percebido. Mas o que ele fez hoje de manhã antes de saírmos para lhe dar os medicamentos e mais tarde no consultório, não tem descrição.
A solução (da médica) : não basta dizer NÃO! Não adianta dar uma palmadinha na fralda porque isso ele esquece e faz a asneira outra vez. No momento em que ele se encontra, o que resulta (diz ela que demorará um ou dois meses) é, nestes momentos de birra terrível, a solução é levá-lo para o quarto ou metê-lo no parque, explicando-lhe que está de castigo pelo que fez. Poderá chorar 5 minutos, que lhe irão parecer uma eternidade, mas aos poucos isto irá funcionar.

Estou com esperança que esta seja uma fase mais complicada devido ao nascimento dos dentes e que assim que ele esteja mais descongestionado volte a ser o M., com as suas birras é certo, porque isso faz parte, mas sem fazer estas cenas para tudo: mudar a fralda, dar remédio, dar o jantar.

Lá o pesou ao meu colo, na balança dos grandes, está no percentil 25 de altura e de peso.
Comida - Vai começar a comer comida normal, sem ser passada (temo o pior) e já pode beber leite meio gordo.

Depois um alerta da médica: nada de danoninhos, nem 1ºs iogurtinhos. Só servem para engordar e gastar dinheiro. Continua a comer iogurtes naturais e só poderei introduzir aqueles com aroma e só no caso dele deixar de comer os naturais.
Segundo ela, esses iogurtes especiais para bebés são apenas marketing e fazem mal porque têm o dobro das calorias e são enriquecidos com isto e aquilo, sem necessidade.

Calçado - enquanto não andar mesmo, convém que ande descalço para ajudar a que se forme a curvatura do pé. Quando começar a andar, usar sapatos com reforço no calcanhar.
Explicou-me também que ele anda em biquinhos dos pés instintivamente, já que é assim que se forma a curvatura.

E é isto. Cada vez mais as minhas teorias de educação caem por terra e a psicologia não me serve para nada. Sinto que o M. anda a medir forças connosco e há uma frase da pediatra que não me sai da cabeça :

Se vocês não tiverem mão nele agora, se não lhe impuserem limites e regras, aos 15 meses já não o agarram.

E eu que pensava que era tão assertiva, tão firme nos meus Não! Pelos vistos não estou a ser e isso está a reflectir-se no comportamento dele. Chegou a altura de parar e pensar, de mudar o rumo às coisas para que ele próprio também se sinta mais feliz, porque como diz o Brazelton, as crianças precisam de limites, são eles que ajudam a construir a sua personalidade.

Conquistas:
- Já bate palminhas de felicidade - dantes só batia quando estava irritado .... oh well...
- Já percebe as palavras dá, toma, bola.
- Já dá high fives.
- Já diz adeus, mas como se fosse um rapper a controlar a multidão.

12 comentários:

ritaR disse...

sara, don´t be so hard on yourself :-)
para isso é que servem os médicos assistentes, para dar assistência. essa pediatra parece-me excelente nas dicas quanto a comportamento. experimentem a táctica sugerida, Às vezes temos qu mudar de estratégia :-) e até aos 15 meses faltam 3!
bjs e diverte-te :-)

Sonia,Filipe e Guilherme disse...

oh...como te compreendo
O Guilherme quando lhe tiro alguma coisa da mão (especialmente os fios) começa num berreiro (lágrima e tudo). Mas o que tem dado resultado é eu ignorar e ir buscar um outro brinquedo e sentar-me ao pé dele. São fases....mas custa sempre lidar com elas. Não vêm com livros de instruções :) mas eu acho que tens feito tudo tão bem. Acompanho-vos diariamente e aprendo muito aqui. Cada bebé tem a sua personalidde. Não concordo nada com isso de mais tarde não teres mão nele.
Tudo vai correr pelo melhor.
Beijoquinha

Manhã de Inverno disse...

Achei que a médica deu bons conselhos mas pareceu-me um bocadinho fatalista no conselho final.

Cada vez me convenço mais que nesta coisa da maternidade, assim como em tantas outras coisas na vida, há que ter calma, bom senso e se for preciso mudar de estratégia, recomeçar. Mas sem dramas, sem nos sentirmos culpados, porque é assim mesmo que se aprende. E o que serve ao vizinho e ao amigo nem sempre nos serve a nós e aos nossos filhos.

O principal ele tem, muito amor e uma mãe atenta. O resto a seu tempo virá.

E parabéns pelo desenvolvimento dele, vitalidade é o que é preciso! :)

Sofia Quintela disse...

Querida Sara entendo-te bem...porque o meu filho faz exactamente o mesmo, sempre que é contrariado berra, esperneia, dá murros e puxa-me os cabelos, eu já lhe dei palmadas, as vezes funciona outras vezes não. Ultimamente tento pegar-lhe nas pernas ou nos braços ou vou falando com muita paciencia sem levantar a voz ou começo a cantar para ele se acalmar ou dou-lhe imediatamente uma coisa para a mão que sei que o vai distrair e ele pára. É tramado, e olha essa estrategia de o colocar na cama o meu chora, mas nao é 5 minutos, já esteve mais de meia hora a chorar, eu ja estava a ficar preocupada e ele muito aflito com a respiração, não o deixo chorar mais do que 5 minutos a partir dai saio com ele de onde está e distraio-o, resulta sempre ir à janela ver a rua, ir ao espelho ou ligar o exaustor. Só nao faz birra para comer, assim que vê a comida começa a dizer: pá-pa pá-pa. é uma liucura com a comida. Mas temos de os controlar agora é uma verdade, mas não é facil. O unico conselho que te dou é muita calma e paciencia, se perdermos a paciencia e levantar-mos sempre a voz e dermos palmadas eles vão habituar-se a isso, então o que resulta mais a meu ver, é a calma e a assertividade. Calma mas firme.
beijinhos grandes aos dois.

Supertatas disse...

ahhaahahhaha desde os 5 meses que não se consegue pesar este minúsculo na balança dos bebés! as birras no pediatra são sempre de fugir. enfim.
opah, sinceramente acho que as birras dele são super normais, principalmente para tomar remédios e ainda para mais com uma otite, e só quem nunca teve uma é poderá dizer o contrário!
e tb acho normal que não estando habituado à comida sólida nos primeiros tempos refile.
não concordo muito com os castigos, sinceramente acho que ainda não têm capacidade para os entenderem, claro que sim aos não! e à firmeza mas o segredo da birra está na sua antecipação, está nos pequenos sinais, há que estar mto atento.

Patrice disse...

Cada cabeça sua sentença e pelo que tenho lido por aqui, cada pediatra tem a sua maneira de ajudar. A minha só teve ok para o leite meio gordo aos 2 anos :o)

Quanto aos castigos, concordo com a Tatas. Ele ainda não tem capacidade de perceber. Acho (e contra mim falo, atenção!) que uma voz firme e zangada tem muito mais poder.

A minha acabou de me fazer mais uma daquelas cenas que relatei, dizendo que se ia embora pq eu ralhei com ela e ela gosta mais do pai e eu abri a porta e meti-a lá fora sem dizer mais nada. Dói para caraças e para mim tudo isto é novidade, mesmo esta questão de me mostrar "durona" mas sabes... foi remédio santo. Bateu à porta devagarinho, pediu desculpa e colo :o)

Beijos

inesn disse...

também me parece um pouco de fatalismo a mais...a minha sara sempre foi um bebé difícil, sempre mediu forças connosco e a poucos meses dos 2 anos começou a mudar ligeiramente até nos surpreender a sério. hoje mantém-se uma miúda difícil mas já a vamos conseguindo domar...

beijinho!

ps - quanto aos iogurtes, os meus comem os de aroma da yoplait que são mil vezes mais baratos que os "iogurtes infantis"; só no leite a opinião da pediatra é diferente da vossa: por aqui bebem leite gordo até aos 2 anos (segundo a médica devido ao crescimento do cérebro)

Angi e Bia disse...

Sabes, tinha imensas teorias antes de ser mãe, li carradas de livros e revistas, foi a aulas de preparação para o parto e de educação infantil...sabes o que te digo agora???? temos que viver o momento, conforme forem surgindo as dificuldades vamos dando o nosso melhor, como diz o meu pediatra e agora da minha filha "...afinal o que é o melhor? o melhor é aquilo que você achar naquele momento, que é o melhor...", aqui em casa damos leite gordo, o pediatra da Bia diz que só se dá meio-gordo quando as crianças tem problemas de peso, são gorduchinhas. De resto é tudo igual...de vez em quando dou-lhe os outros iogurtes...ela também é magrita...e ela gosta tanto...

Lau disse...

Eu acho que o M. Não vai ter capacidade de perceber porque é que está de castigo, pelo menos para já, normalmente quando o Moranguito faz birrinha eu tento distraí-lo, e tem resultado, mas o meu ainda está um bocadinho longe do teu em termos de idade. Acho que um Não firme é capaz de ser mais perceptível para ele, não sei!

Quanto aos iogurtes a minha pediatra mandou dar-lhe o primeiro danoninho com fruta caso ele não gostasse dos naturais. Para já abomina o iogurte natural, os outros come, mas com muito sacrifício.

Pipoquita disse...

Como eu te compreendo!
Na consulta de um ano, no início de Fevereiro, altura em que o pai da Beatriz voltou a ausentar-se do país, eu julgava que enlouquecia!
A Beatriz fazia fita para mudar a fralda, a hora de dormir era um suplício, ela não chorava, ela gritava horas a fio!
Eu tive uma noite em que me sentei no hall de entrada, a chorar, ^há meia-noite, já estava a tentar que ela dormisse há 3 horas e ela nada, só gritava!
Estava completamente desesperada!
Quando fui com ela à consulta, assim que eu entrei, o médico perguntou-me logo se ela já tinha passado da cama dela para a minha! E eu perguntei porquê... e ele disse: "Pois, é que ela sabe que você está sózinha e está a tentar manipulá-la... e vai continua a fazê-lo se você deixar! Se ela sabe que você cede ao fim de 5 minutos, ela chora 5 minutos, se for ao fim de meia-hora, ela chora meia-hora... mas se você não ceder nunca, por muito que lhe custe ouvi-la chorar, ela vai desistir e vai saber quem manda! Se não fizer isso agora e se quiser ter a vida facilitada agora, vai pagar no futuro!"
Eu fiquei parva com aquilo!
Como é que é possível eles saberem tão bem como consguir o que pretendem e como nos sabem manipular desta maneira???
Para mim é um mistério!
O que é certo é que resultou... ela ao pé de mim agora é um anjo! Volta e meia lá se tenta esticar, mas eu, corto-lhe logo as vazas!
Mas custa, ter de ser eu a fazer o papel da má da fita... e vejo que quando eu ralho com ela e se estiver alguém ao pé, ela olha para essa pessoa, como quem diz "olha a mãe...está a zangar-se comigo"...
Mas foi melhor assim, custou no início, mas agora posso estar um bocadinho mais descansada, porque estando sózinha, se assim não fosse, dava em doida!!!

As psicologias são muito bonitas, mas nós somos humanas, também temos limites e desesperamos como qualquer ser humano!

Portanto força!
Vais conseguir domar a "fera"!
É claro que eles vão sempre fazer birra, nós também as fizemos, mas há birras e birras!
As melhoras do principe e que os dentes saiam depressa!

Beijinhos
P.S- Grand´a testamento eh eh!

Sonia&Mi disse...

Meu Deus, desculpa dizer isto mas que fatalismo essa da pediatra!
Cada criança é diferente, e não podemos só porque se comportou dessa forma na médica generalizar!
Pô-lo de castigo?? Mas essa médica está tola? E a ansiedade que gera numa criança o ser deixado num parque a chorar?! Eu discordo completamente dessa teoria que me parece completamente ultrapassada! Uma criança com birra não precisa de ser ainda mais posta a prova da ângústia, necessita de se acalmar e de entender que NÃO PODE ou NÃO DEVE fazer isto ou aquilo, e como não vejo que as crianças funcionem com reforços negativos, eu vou mais pelo sentar com ele no chão e esperar que a birra termine, falando em voz baixa, fazendo festinhas, mesmo que me arrisque a levar uma sapatada. Eles são tão pequeninos... castigá-los já?!
Para quê?

Essa do "já na o agarram aos 15 meses" é completamente irreal!
A sério, tenta não dar muita impotância, isso acaba por passar.

beijinhos.

Mamã Pirata disse...

Bom...Tb n concordo com "deixar berrar 5 mint."pq acho que são ainda mto pequenos para entender o pq do castigo.
Tentar distraí-lo lá em casa é a melhor opção...por enquanto.

Mas cada um sabe de si e o que é melhor para o seu filhote.

Podes sempre tentar e depois ver o resultado.

Muita força e paciencia...