sábado, 29 de setembro de 2007

5 meses

Hoje o M. faz 5 meses. Podia estar mais bem disposto, está com uma constipação terrível, febril e um bocado rabugento. Esta foi a primeira "doença" a sério que ele teve, daquelas que, apesar de não ser grave, já nos obriga a levantar 4 ou vezes durante a noite, para pôr soro, aspirar nariz, etc. Para além disso e digo novamente, apesar de não ser grave, custa ver o nosso filho menos sorridente, com má cara e a dormir mal. Por isso digo que deve ser terrível ter um filho com uma doença grave. Se dantes dizia isto na teoria, agora que ele está só constipado ainda o digo com mais convicção.

A adaptação ao infantário tem corrido muito bem, vem sempre bem disposto e come lindamente.
Hoje começou a comer fruta com a sopa do almoço mas não é grande fã, pelo menos da maça cozida (eu também não sou, porque aquilo não sabe a nada).

terça-feira, 25 de setembro de 2007

No banho

Regresso ao trabalho

07.15 - Despertar
07.20 - Dar biberon
07.30 - Vestir
07.45 - Tomar banho (eu)
08.00 - Tomar pequeno almoço
08.15 - Saír de casa
08.30 - Chegar à creche

Foi assim a manhã. Já não estava habituada a começar o dia tão cedo e sobretudo adaptar-me a toda uma nova logística, que inclui não me esquecer da sopa no frigorífico, por exemplo.
Sei que vou andar estoirada durante esta 1ª semana, mas depois hei-de me habituar.

Estou de volta ao mundo do trabalho e sinto-me muito burrinha, já nem me lembro das passwords dos programas...

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Muito, muito observador

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

"Engatinhando"

A minha empregada, angolana, de seu nome Catarina, diz que o M. já quer "engatinhar" e só não consegue porque quando o pomos no ginásio as almofadas não o deixam expandir-se.

Bom, como acredito na sabedoria popular, ou no "povão" como diz o post da tatas, experimentei.

Eis o resultado:


Para quê gastar dinheiro em ginásios e colchinhas patchwork, quando o soalho de madeira serve perfeitamente :P

Sobre a sopa

Para quem perguntou como tinha corrido a introdução das sopas

Hoje diz-me assim

A garota da molly maid, que se auto-intitula de txitxia do Minúsculo, soltando pérolas de sabedoria popular brasileira do alto da sua rechonchudez, enquanto eu o alimentava:
- Heya, tá txi caindo o cabêlu todo, ein? 'tá cheio dxi cabêlu por todo o lado!
- É verdade...
- Isso quer dizê que o nêném está-lhe conhecendo.
- Ai sim?
- Aí, é o que diz o pôvão, quando eles começam a conhecer bem suas mães estas ficam carecas.

errrr O.o
Nisto ele solta um dos seus grotescos arrotos e, como de costume, bolça um bocado de leite para cima do meu ombro protegido pela fralda de pano - POF! - , já colocada estrategicamente em tom de prevenção; ela dá um pulo para trás e com os olhos muito abertos diz:
- Poças, vai ficar grandão mesmo, é que cada bolçada é uma engorgada! sabi como é, é o que diz o pôvão.
e lá foi, continuar a sua labuta quinzenal aqui da casa que aqui o pôvão vai almoçar.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Carregadinho de pixeis

E sem mexer as perninhas, só para vocês:
Atenção, muita atenção!

Lembrete

Este blog é sobre dois bebés: um mais velho e outro mais novo, um a comer papas e sopas e outro a beber biberon, um que parece um ranger e outro que parece uma foca nadadora, um mais gorducho e outro mais comprido... às vezes tenho a sensação que nos confundem; à Sara-M. e a Mim-Minúsculo :)

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Rangers & Sopas






Hoje foi a consulta dos 4 meses, já algo atrasados, porque já está com 4 meses e meio. Está tudo a correr bem, peso 7470 kg, comprimento no percentil 50, desenvolvimento acima da idade no que respeita ao movimento, porque já parece um "ranger" a tentar gatinhar.








A partir de amanhã começam as sopas. A primeira só de batata com cenoura (durante dois dias) e depois progressivamente vou introduzindo 1 legume diferente por dia a esta base.
Estou a pensar comprar uma máquina destas, alguém tem opiniões?

O post fútil

Estou mais magra agora do que quando engravidei. Já perdi os 20 kg que ganhei na gravidez e tive um bónus de 2 kg a menos.
Esta perda vem na proporção do ganho de peso do meu filho, que, com os seus sete kilos e qualquer coisa já começa a ter um efeito adelgaçante em mim :)

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Foi hoje

A primeira (espero que de muitas) aula de natação do Minúsculo.
Foi um valente e portou-se bem o tempo todo; desde o duche inicial aos 30 minutos completos da aula.
Adaptou-se muito bem a todas as posições, fartou-se de palrar, sorriu, gargalhou e, claro, bolçou :$
Às tantas passou para os braços do professor (não o estranhou nada) que o achou preparado para logo na primeira aula dar um mergulho :O - e assim veio, debaixo de àgua, do professor para mim, sem engolir àgua, sem se engasgar, a suspender muito bem a respiração e sem chorar :')
Ficou tão cansado, tão cansado, que, ainda lá, adormeceu a dois terços do biberon, veio para casa a dormir e ainda continua; vou juntar-me a ele então para uma confortável sesta também ;)

Conhecemos o Gabriel que se fartou um bocadinho da aula mas que eu espero que se tenha cansado um pouco e também esteja a fazer uma bela sesta, para dar um pouco de descanso à mãe que bem precisa!!!

Casais


A recente separação de um casal amigo com um filho, além de me entristecer deu-me que pensar.

A chegada de um filho é sempre um acontecimento que oscila entre o "oh meu deus o que é que fazemos com ele agora" e o "ele é lindo" e muitas outras emoções mais. No entanto, é também uma prova de fogo para o casal, um constante teste à solidez da relação e à coerência que ambos mantêm.

Se eu já sabia disto em teoria, quando o meu bebé nasceu apercebi-me que é mesmo assim. Nos primeiros tempos, a excitação de ter um filho leva-nos praticamente a só falar nisso, com os amigos, os familiares e com o nosso/a companheiro.

No entanto, e à medida que o tempo vai passando e as rotinas se vão encaixando, é importante procurar outras coisas, outros interesses, porque antes de sermos pais, somos um casal e creio que em muitos casos, os casamentos acabam porque as pessoas simplesmente se dedicam a 100% aos filhos ( o que é correcto) mas descuram o casamento ou a relação que tinham.

Quando se apercebem já é tarde e a única coisa com que tornaram comum entre os dois é a existência de um filho, o que é muito bom, mas não é suficiente.

Por isso insisto na importância de se saír a dois, de falar noutras coisas que não no bebé, de estar com outras pessoas sem falar de cocós, bolsados e cólicas, caso contrário, quando damos por nós não temos quaisquer outros interesses, ou se temos não os partilhamos.


A mim deu-me que pensar.


quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Update














Depois de muito tempo sem actualizar o blog e a pedido de várias famílias aqui vai.
Estas últimas duas semanas têm sido particularmente intensas, não só porque se aproxima o fim da baixa de maternidade mas também porque o M. evoluiu muito, no que respeita à comunicação, mas sobretudo relativamente ao movimento.
Já se vira sem qualquer ajuda e assim que se apanha de barriga para baixo levanta todo o tronco e fica a olhar para todo o lado num desassossego :)

Tenho-o deixado progressivamente na creche onde vai ficar a partir de Outubro e felizmente que se adaptou bem. Come e dorme e ri-se para as educadoras. Para mim foi um suplício deixá-lo lá da primeira vez, mas agora também já estou mais habituada.

Já não sei quem me dizia que precisamente quando os bebés ficam com mais piada, comunicando mais e brincando é a altura em que temos de os deixar ir para a creche. Mas não faz mal, aproveitamos ainda mais quando os temos ao pé de nós ao fim da tarde :)

terça-feira, 11 de setembro de 2007

umbigu


umbigu, originally uploaded by supertatas.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Acabou

O verão na praia de férias pelo que voltámos para a praia de casa onde parece que continua :)
O Minúsculo foi hoje à consulta dos três-meses-uma-semana-e-seis-dias e começou ontem a andar, o que foi porreiro.
ahahhaha
Bom, tem 62 cms e 6,570 kgs (continua firme no percentil 50), já passou a dormir no seu quarto e como não vai para o infantário, para além de que come papa no biberon, ainda não vai começar com os sólidos- fica para outubro.
Levou a vacina da meningite, estou aqui à espera para ver se faz alguma febre ou qualquer coisa. A ver, é assim a minha vida.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Eu tenho

As costas num oito, serei a única?

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

O meu priminho

De cinco anos, decidiu que agora não gosta de carne (às vezes decide-se por outras coisas) pelo que se recusou a comer o jantar; e depois de toda a família lhe falar dos benefícios de comida em geral, da carne em particular, e da falta de forças que isso lhe causaria deixando de poder ser engenheiro, biólogo ou detective (profissões do seu interesse e que quer muito ser para fazer coisas úteis) responde:
Continuam todos contra mim, vou para a lua, tiro o meu fato e morro sem oxigénio por vossa causa :(

posto isto... pou :')


a caminho da lua, originally uploaded by supertatas.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

:'D

As figurinhas que eu faço para o fazer rir.

sábado, 1 de setembro de 2007

O primeiro

Biberon do dia sempre foi complicado, depois de dormir tantas horas (das 21:00 às 07/08:00 com um intervalo à meia noite uma para um biberon em que nem sequer chega a acordar) o Minúsculo quer é conversa, brincadeira e comer é mentira!, com muita muita sorte e empenho consigo que beba no máximo uns 100 ml. É a refeição em que come menos, sempre foi, mas agora, desde que descobriu que é divertidíssimo dedilhar biberon acima biberon abaixo, os pequenos-almoços parecem concertos do Louis Armstrong, cheio de bochechas e tudo e tudo! Ri-se à brava com isto e sai-lhe o leite por tudo o que é sítio, ensaia gargalhadas e engasga-se.
Entretanto, também descobriu que quando está naquela posição meio-deitada-meio-inclinada de beber o biberon consegue, com ajuda dos cotovelos e esticando a cabeça toda para a frente, sentar-se firme e hirto ao meu colo!! Este esforço abismal da sua tenra abdominália tranforma-se num bolçanso constante do pouco que ingeriu enquanto tocava trompete (às vezes faz tantos acordes que me lembra mais uma daquelas lindas pianolas de boca que se usavam nos 80 do que propriamente um trompete) e num tremendo sorriso leitoso agarrando uns pés pelo caminho.
E pronto, são assim as nossas manhãs :)