quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Em jeito de balanço e previsão

2009 foi dos anos mais angustiantes que vivi. As constantes doenças do Manel (otites, amigdalites e outras que tais) e a sua baixa estatura levaram a que a meio do ano o levássemos a fazer análises. A partir daí durou um calvário de alguns meses. Quem acompanha o blog sabe do que falo. O meu filho tinha valores baixos de plaquetas e até sabermos que era uma doença auto-imune, sem quaisquer consequências, uma sombra pairou nas nossas vidas, a sombra de doenças gravíssimas e fatais. Afinal o que ele tem é púrpura trombocitopénica, que não lhe trará quaisquer problemas. A verdade é que, desde Outubro que os valores estão a subir e com isso (coincidência ou não) ele tem estado saudável.
Neste momento ele anda bem, eléctrico como sempre, bem disposto, falador, desobediente, mas é assim que deve ser. Estamos cá nós para dar mimo e disciplina. A próxima luta a travar é contra as fraldas, assunto sobre o qual ele nem quer ouvir falar, ignorando-nos ostensivamente quando lhe dizemos que ele já é crescido e já deve ir à sanita.
Aceitam-se dicas e truques daqueles "como largar a fralda em 3 dias".
O ano de 2010 vai ser um ano de viragem. Começo a fazer doutoramento a partir de Janeiro, levando-me a alterar completamente as rotinas que tinha com o Manel. Três noites por semana deixarei de ser eu a cuidar dele, a ir buscá-lo, a dar-lhe banho e temo não chegar a casa a tempo de brincarmos um pouco. Desde que ele nasceu que sempre fui eu a parceira dos fins de tarde e alterar isso, sobretudo porque ele vai acabar por ficar mais horas na creche, dói-me muitíssimo.
Resta-me a esperança de que, concluído o 1ºano do doutoramento, possamos passar mais tempo juntos, estando eu mais satisfeita pessoal e profissionalmente.
Começo o ano com um corte de cabelo radical e uma promessa de dieta. A ver como corre...
Terei com certeza menos tempo para vir aqui, mas sempre que possível cá estarei a dar notícias.
Feliz 2010!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Hoje numa lojinha de rua

Os collants compram-se pelo número que se calça, disse-me a senhora, quanto calça o menino?
23-24, por aí, respondi eu.
E dá-me uns collants que temo que nem aos 8 anos lhe serviriam.
Ahhh, tem que ser mais, pequeno, mais pequeno ainda... hummm, talvez um abaixo...
Vai ela e: mas esse rapaz é desproporcionadíssimo!! :O

COMO OUSA? EIN?

A PULHA!!
pxé