terça-feira, 28 de julho de 2009

Mudanças

Eu estava convencida que o meu filho seria uma criança fácil, que não seria preciso embalá-lo ao colo para adormecer, que dormiria a noite toda sem interrupções, e que não faria birras.

Mas enganei-me: entrámos na fase do choro quando se diz "Não!", quando o deitamos na cama, quando lhe pomos soro fisiológico no nariz, quando temos de medir a febre ou colocar o supositório.

Agora é que se acabou mesmo o sossego.

:)

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Compro em 2ª mão

(entretanto, a Tatas emprestou-me, obrigada)

Alguém tem uma cadeira destas (até aos 18 kg) em bom estado que queira vender?
Está aberto o leilão.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sesta


sesta, originally uploaded by supertatas.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Do desfralde I



Bacio - 0 Chão da cozinha - 1


terça-feira, 14 de julho de 2009

Os babyblogs

Nem sempre os babyblogs são honestos. Basta percorrer uma lista de 10 ou 20 para pensarmos : "meu deus, eu sou uma péssima mãe".
Isto porque as pessoas têm tendência (e é uma opção legítima) para escrever apenas as coisas boas de ter um filho. As politicamente correctas dir-me-ão :"São tudo coisas boas. Há é umas menos boas". Treta. É mentira. Há alturas em que as coisas correm mesmo mal. Em que os miúdos nos hostilizam. Em que dizem que não querem a mãe querem é o pai. Em que para qualquer acção há gritaria e birra. Em que mudar uma fralda, dar a comida, dar banho ou vestir são tarefas unicamente possíveis para um monge budista. É muito muito desgastante.
Por isso é que me custa não encontrar muitos blogs a falar disto, destas fases, em que nos sentimos perfeitamente impotentes e incapazes como mães. E quando digo "blogs a falar disto" não é aquele género de discurso típico "ai o meu filho tem uma personalidade muito marcada" ou "o meu pestinha cuspiu-me para cima, que adorável". Não. Falo do ponto de vista do pai ou da mãe.
A pressão é muito grande. A pressão dos outros sobre nós. Sobre a maneira como educamos, como brincamos, como conduzimos os nossos filhos. Só depois de os termos é que sabemos. E não é quando têm 5 ou 6 meses. Não. Esta é até agora a fase mais complicada do meu filho. Estamos todos a passar pelo mesmo ? Provavelmente estamos, mas poucos são os que o admitem. Admitir que todas as teorias que tínhamos sobre "como lidar com birras" vão por água abaixo. Admitir que afinal, de vez em quando vamos deixá-lo dormir na nossa cama, porque temos de dormir e estamos exaustos.
Ter um filho é óptimo. É o melhor que há. Mas tem momentos lixados, em que nos deparamos com a nossa total incompetência e isso mexe mais fundo do que se imagina.

sábado, 11 de julho de 2009

E aos dois anos e dois meses


Sem grades, originally uploaded by juliana_way.

tirei as grades da cama do Manel. Será que me vou arrepender amargamente?
Por via das dúvidas a grade ficou à mão de semear.

Jardim da Estrela


Jardim da Estrela, originally uploaded by juliana_way.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Post longo e a falar de doenças


legos, originally uploaded by juliana_way.

Tenho estado ausente do blog. Esta ausência deve-se a uma (já mais calma) fase de doença do M. que começou com umas análises ao sangue para avaliar o crescimento dele nas quais se detectaram valores alarmantes (segundo o pediatra dele), não relacionados com o crescimento mas sim com o sangue. Só se queria apurar se ele era baixinho e no instante a seguir está a ser seguido no hospital de dia (de Santa Maria) na especialidade de Hematologia Pediátrica. As 1ªs análises que fez, as tais para ver se era baixinho deram valores de plaquetas muito baixos, o que poderia indiciar doenças terríveis (leucemia, hemofilia, e outras que tais). No entanto, ele não tinha qualquer outro sintoma, pelo que, de há quase 2 meses a esta data tem sido picado 1 vez por semana para recolha de hemograma e controlo das plaquetas.
O que pode causar isto? Ainda não se sabe, mas ao que tudo indica, terá sido uma infecção viral (deu positivo o citomegalovirus) que atacou a medula, baixando as plaquetas a níveis que, apesar de não suscitarem preocupação em relação a hemorragias, são preocupantes porque são muito baixos. Agora só será picado novamente em Agosto, porque entretanto as plaquetas têm estado a subir o que é sinal que o organismo dele está a recuperar.

O que é curioso e animador é que em nenhum momento ele apresentou qualquer alteração: continua a comer bem, a dormir e a brincar e isto só se descobriu por mero acaso.
Também se descobriu que o M. tem um nível bastante baixo de depósitos de ferro, o que poderá explicar alguma irritabilidade, infecções recorrentes e outro tipo de sintomas e por isso mesmo está a tomar um suplemento de ferro.

Pensei bastante antes de colocar este post, porque não quero ser alarmista, sobretudo agora que já estou mais descansada depois de ouvir várias opiniões. No entanto, depois de várias pesquisas que fiz e particularmente em relação à carência de ferro, cheguei à conclusão que são vários médicos a sugerir que por volta dos 2 anos de idade as crianças devem fazer um hemograma, porque a carência de ferro pode trazer sequelas graves se não for tratada.

Tirando esta situação que nos arrasta em preocupação constante (como digo, já mais amainada) temos tido birras e mais birras, excesso de mimo, uma urgente necessidade de ter um irmão e sobretudo férias: férias daquelas em que não se pensa em nada, em que não há horários, apenas boa vida e gargalhadas. Ele já começa a acusar algum cansaço da rotina da escola e tem feito "fita" para ir para lá. Está quase. Em Agosto lá vamos nós e 8 milhões de portugueses.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Aqui

Já não há mais dentes para nascer. Pronto. Finalmente.