quinta-feira, 9 de novembro de 2006

O início

Ao contrário do que o senso comum afirma, a gravidez não é um mar de rosas. Eu particularmente não me sinto um ser especial. Estou igual mas com uma barriga maior e dada a impaciência que me caracteriza, quero é que este tempo passe depressa, porque acho que a piada disto começa com o nascimento. O bebé só nasce daqui a 26 semanas, o que significa que neste 1º post estou de 3 meses e meio, mas aparento estar de cinco.

Este blog é sobre as gravidezes de duas amigas que já andaram de mochila às costas pela Índia e que agora se aventuram a ter um bebé.

4 comentários:

Baggio disse...

Eu tenho uma dúvida, que me acompanha há muito. As grávidas saúdam-se quando se cruzam na rua? Já vi camionistas, motoristas da Carris, polícias e carteiros fazerem isso: um aceno, uma buzinadela, um "olá colega". Mas nunca reparei se as grávidas têm a mesma atenção quando se cruzam na rua com uma futura mamã. Acho que baixam os olhos.

sara disse...

ahahaha! Não, não baixam os olhos, fazem um sorrisinho cúmplice, que aliás também acontece com algumas mulheres não grávidas que se cruzam comigo.

supertatas disse...

eu cumprimento sempre os outros condutores de landrovers :)

Anónimo disse...

Saritão, não deturpes a realidade! É obvio que as gravidezes não são um mar de rosas! Basta ouvir aquelas conversas das mães sobre os seus tempos da gravidez. Ele é sexo desenfreado, apetites vorazes, pessoas a quererem por a mão na barriga, e então estórias do parto, nem se fala! Palavras como rolhão ficam a pairar nas cabeças dos homens durante meses!!!

Bom, esperamos os discursos psicoticos e escatológicos!

Ah! E parabens às duas! Por mais uma viagem "em conjunto"!