quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Cansaço


Ando muito, muito cansada. Apesar de ainda estar com horário reduzido, saio por volta das 16.30 (dou mais uma hora à casa do que devia) e vou buscar o M. à creche. Ontem cheguei a casa e pesei-me ainda com tudo o que tinha em cima de mim: M. no marsúpio e saco com a minha mala, a mochila dele e a minha "marmita" (concentro tudo num saco de desporto para ser mais fácil): 15 kg a mais. 15 kg!!! A minha zona é um inferno para estacionar e páro o carro sempre longe de casa pelo que este peso faz muita diferença.
Hoje estou com uma dor no ombro e no pescoço que mal me mexo. Definitivamente tenho de começar a andar sempre com ele no carrinho, caso contrário vou arranjar um problema nas costas.
Depois de chegar a casa, normalmente brinco com o M. durante meia-hora, altura em que ele fica impossível porque quer dormir uma sesta de normalmente uma hora. Aproveito esse tempo para continuar a trabalhar (posso trabalhar em casa utilizando a internet). Quando ele acorda, aí pelas seis e meia, sete horas, já cheio de fome e aos gritos, dou-lhe banho o que o acalma momentaneamente. O problema é que agora quando o tiro do banho chora, e para o vestir é o caos! Parece uma lombriga a escorregar-me pelas mãos! Fico esgotada. Dou-lhe o jantar e como entretanto o N. chega, fica com ele enquanto eu faço o nosso jantar que só comemos lá para as nove, nove e meia.
Só me sento na sala pelas dez e meia, depois de ter as coisas mais ou menos arrumadas e quando me sento já estou absolutamente de rastos.
Sugestões para combater este cansaço todo, para lidar melhor com o dia-a-dia agitado?

18 comentários:

Barriguita disse...

se encontrares o remédio para este cansaço que por cá também se faz sentir, eu agradeço!

a nossa rotina é semelhante... e o cansaço deve ser igual.

gralha disse...

Não dá para deitar mais cedo?

Pimpinelas disse...

Por acaso às vezes dou por mim a pensar como vai ser quando o bebé nascer. Eu não tenho "direitos de maternidade", já que sou profissional liberal, mas também não tenho um horário completamente livre que me permita sair às horas que eu quero. Não temos avós senão a cerca de 80 Km de distância. E pensar que chegando a casa mais cedo, para tratar do bebé e brincar com ele (para o que conto naturalmente com a ajuda do pai), tenho de dar banho, preparar o jantar dele e o nosso, eventualmente ainda trabalhar um pouco, fico um bocado pensativa com a perspectiva.
Mas a verdade é que há sempre maneira de ultrapassar tudo :)

pekala disse...

A solução é deixares-te ir na onda e nem pensares muito nisso,eu ainda carrego o mesmo peso desde que os 4 meses dele com a diferença que tenho que apanhar metro e autocarro e ainda andar um bocadinho.Faz-se,é daquelas coisas que tem mesmo que ser,e ainda hoje só janto por volta da mesma hora que tu e às vezes um pouco mais tarde.Não lidas com o cansaço,habituas-te a ele...o que vale é que o meu já vai muitas vezes pelo seu pé,o que ajuda um bocadinho mais!

Su disse...

Quando a miúda era mais pequena usava um carrinho pequeno daqueles de passeio ue guardava na mala do carro. Punha-a lá, pendurava os sacos nas pegas e empurrava aquela traquitana toda!

Mais tarde comprei um carrinho no IKEA, daqueles com rodinhas para levar as compras. Ponho a sacaria toda lá dentro e venho com a miúda pela mão.

Quanto ao resto das sugestões, fico à espera que alguém as tenha...

Beijinhos!

ritap disse...

quanto ao banho versus escorregadelas dele , podes-lhe dar uma bolachinha???
ele engasga-se??? ou um bocadinho de uma bananita antes do banho só pra enganar a fome???
quanto ao cansaço.... pois!!!!!
guisa carne e faz num dia com esparguete , no outro com batatinha tipo jardineira ou com macarrão. carne assada num dia e no outro empadão com as sobras , e assim qualquer coisa que nao seja preciso estares agarrada ao fogão todos os dias... plo menos dia sim dia não descansas mais um bocadinho :P

morgy disse...

puf puf não tenho solução, o problema por aqui é o mesmo! e eu gostava tanto quando me deitava às 22h - durmo muito eu sei, mas o meu corpo precisa e anda cada vez mais ressentido desta falta de descanso!

rita disse...

Salvo pequenas diferenças, é quase tudo igual. Quando chego ao sofá devo aguentar uns 5 minutos acordada...
Bjs

a mãe dos miúdos disse...

nós lá por casa aldrabámos os horários. a prioridade é alimentar e deitar os miúdos, que pelas 21:30 estão na cama. Comemos às, 22h e como gostamos de ver séries, só uma hora e meia depois (pelo menos!) é que caímos na cama.

E no que melhorou isto o meu cansaço? descobri que dar atenção a 2 filhos enquanto faço comer e tento ingeri-lo, não funciona. a partir das 21:30 é o nosso tempo e isso ajuda-me a relaxar, o corpo vai baixando o ritmo e eu, mesmo acordada, consigo abater o cansaço. porque é gradual, não é um parar súbito. deito-me mais tarde mas com a sensação que consegui ter um tempo para mim. para nós.

Mar disse...

Também moro num sítio assim.

Tudo o que puder ficar no carro, fica no carro. A mochila dele nunca vem para casa todos os dias. Se houver alguma peça de roupa suja, vem só essa, num saquinho, dentro da minha carteira. Se tiver muitas coisas que têm mesmo que vir para casa, ficam no carro e o marido apanha-as quando vier para casa.

Como a mãe dos miúdos, a prioridade é tratar deles e deitá-los. Quando ficam prontos, eu vou pôr o mais velho na cama e o pai faz o jantar. Doses grandes para sobrar. Molho de carne fazemos aos potes, dá para empadão, bolonhesa, arroz com carne. Muitos legumes congelados, sopa, coisas rápidas.

Quando vou pô-lo na cama durmo um bocadinho com ele até ele adormecer, se estiver muito cansada (OK, isto não é pedagógico, ajuda-me). E lembro-me, muitas vezes, que eles só vão ser pequeninos agora e que eu ainda vou ter saudades disto!

(leio sempre, em silêncio.)

Mia disse...

Relax..relax...relax..
Cheguei aos 8 meses do Tomé exausta e não tenho escadas nem ruas para subir ou descer com "tralha".
Tive aprender a ir na "onda". Por aqui o Tomé adormece às 21h, depois jantamos e temos o nosso tempito.
Já cheguei a adormecer com o Tomé nas alturas em que o trabalho exige mais! Fiquei sem jantar mas mais paciente e mais calma.

beijocas grandes

Ima Trigueiros disse...

Ainda hoje a educadora do D. me perguntou que dieta fantástica é que eu andava a fazer.. mas não ando... é mesmo muito cansaço acumulado.. o D. está agora a chegar aos 9 meses, e continua a acordar 2x por noite para beber biberon...só isso corta-me a noite toda e acordo com a sensação que não dormi..
Quanto à disciplina, faço por a ter, porque senão qualquer dia não aguento...
Assim, às 22h vai para a cama, com banho tomado às oito e barriga cheia. No banho acontece o mesmo que a ti, e a solução é tira-lo da água com todos od bonecos agarrados a ele!! e para o vestir é a mesma coisa, um boneco em cada mão..

Anónimo disse...

Poças, tenho que admitir que ter um bebé me dá por vezes medo... :(

Mafalda disse...

Isto provavelmente não tem nada a ver com o post em si mas...

Eu leio o vosso blog desde o início, e se há coisa que me faz confusão é ficar com a ideia de que os homens estão bastante ausentes, não só no vosso caso mas também nas histórias dos outros blogs para os quais têm links. Com isto não quero dizer que eles estejam emocionalmente ausentes, mas, sei lá, porque é que em 2008 ainda são as mulheres a preocupar-se com o aspirar o chão ou a ter de fazer o jantar para a família? Por favor, digam-me que a divisão das tarefas é 50/50, e que vocês só falam pouco sobre o que eles fazem porque estão a contar o que se passa pela vossa perspectiva, que é portanto "parcial"...

É que tenho 22 anos e nunca, mas nunca, me veria a ter uma criança se o pai não fizesse metade do trabalho. E custa-me pensar que quem nasceu 10 anos antes de mim ainda tem de arcar com todos os pesos e consequências da decisão conjunta de ter um bebé... Mas lá está, talvez seja apenas porque vocês escrevem sobre as *vossas* tarefase não sobre as *deles*

Anónimo disse...

Aqui ficam as minhas sugestões: simplificar o jantar, tentando fazer sempre comida a mais para o dia seguinte, e, na senda do que disse a jovem mafalda, "obrigar" o pai a chegar a casa mais cedo.
De resto, posso apenas dizer, enquanto mãe de um rapaz de 23 meses, que vai melhorar seguramente. Com a idade, os miúdos deixam de fazer birras de fome, de sono ou porque querem ficar no banho. Tudo se simplifica, a sério...
Mas, sinceramente, estou com a Mafalda: é dever do pai chegar a casa a horas decentes para participar nesses momentos stressantes do final do dia. Se eu abdico, nesta fase da vida, que a minha carreira progrida a 100%, espero que o meu companheiro faça o mesmo...
É certo que nem sempre é possível e que cada um sabe da sua vida. Mas fica o desabafo!
Boa sorte!

Sara disse...

Cara Mafalda
A propósito do seu comentário, vou pôr um post :)

Paula disse...

o aziz fez 3 anos esta semana e ainda ando cansada (não te quero assustar)... paula

marielene disse...

Espero ir ainda a tempo da dica... se o casal tiver possibilidade de deixar a criança bem entregue com os avós, aconselho a irem de férias uma semana para descomprimir da rotina diária :)