sábado, 11 de outubro de 2008

72 horas

Depois consigo, finalmente, dar um beijinho à minha amiga - depois de ela ter estoicamente terminado o parto, e uma mini-cirurgia para tirar a placenta, por volta das 4 da manhã - e chego a casa a querer muito acreditar que amanhã ela já irá dormir na sua cama e que daqui por uns largos meses vou anunciar o nascimento de um filho seu.

Uma grande mulher, ela : )
Um grande homem, ele : )


Com tudo isto, com todas as conversas que tive, os comentários aqui, os mails que recebi, as histórias que já conhecia e as novas que ouvi e li, cheguei à triste conclusão que, infelizmente, toda a gente conhece uma ou várias pessoas que já passaram por isto; todas da mesma forma e umas até pior - que as mandam para casa esperar, às vezes até uma semana! - coisa que eu nunca imaginei que no século xxi ainda se passava assim nestas quantidades e qualidades : (

7 comentários:

Mãe do Miguel Afonso disse...

Realmente ao ler isto é impossível não se ficar solidário com uma pessoa que passou por uma provação destas.

Um beijo grande para ela e que tudo isto não a deixe traumatizada pq certamente numa próxima gravidez tudo correrá melhor e com um terço deste sofrimento terá no fim o retorno divino e extraordinário que completa a vida de uma mulher.

Beijos solidários,
Ana

Gaivota disse...

Uma braço solidário a esses pais.

Su disse...

Ainda bem que terminou. Agora começa o processo de cura, de voltar a encher o vazio que é chegar a casa sem ele...
Um grande abraço para ela!

Patrice disse...

Infelizmente, no Sec. XXI estas histórias são mais comuns do que imaginavamos. Só mesmo conhecendo casos concretos percebemos que estas situações, infelizmente, são normais, por mto que as quisessemos banidas da história.

Não é o momento oportuno mas um dia contarei aqui uma das últimas histórias que me foram ditas.

É que tenho uma colega cujo filho nasceu com menos de meio kilo e que assistiu a tanta merda que ninguém acredita.

Um beijo para os teus amigos e votos de muitas felicidades

Lau disse...

Querida, sei que não posso fazer nada para ajudar a animar a tua amiga. Mas posso dar-te alento a ti se precisares. Beijocas, e ainda bem que ela te tem a ti e uma família compreensiva.

Maria disse...

Um grande beijinho de força para ela, para ele.. e para vocês também..:)
um bjnho.

Anónimo disse...

um beijo muito grande à tua amiga e ao seu companheiro.
a_tagide