quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Das mães trabalhadoras

Há uns anos pensava que as mulheres, especialmente as urbanas, modernas, educadas, estavam em absoluta posição de igualdade perante os homens no que diz respeito ao mercado de trabalho, pelo que era disparatado comemorar o dia da Mulher ou atribuir quotas de representação parlamentar às mulheres. Esta posição foi mudando, porque Lisboa não é amostra de todo o país, e mudou sobretudo desde que casei e fui mãe.

Uma mãe que trabalha, que gosta do que faz, mas que está atenta ao mercado de trabalho e que, por isso, de vez em quando lá vai a uma entrevista, nem que seja para saber o que anda a perder. E dou por mim a pensar se os entrevistadores farão aos entrevistados homens as seguintes perguntas:

- É casado e tem filhos?
- Pretende ter mais filhos?
- Como concilia a sua vida pessoal com a profissional?
- Tem apoio em casa?

E imagino que não.

13 comentários:

Mamã Pirata disse...

Dizes bem...somos descriminadas até mais não.
Revolta-me!

Bj ao teu Camarão.

Mafalda disse...

pois é... e não há nenhum homem cujo contrato não tenho sido renovado porque ia 'ser pai'! essa é que é essa...

gralha disse...

Uau! E perguntaram-te isso directamente? Realmente é muito injusto :(

Ana Rute Cavaco disse...

porque é que pensas que me despedi quando engravidei do terceiro?

ah pois é...

Loira disse...

Curiosamente, tenho a experiência contrária em termos de entrevistas. Ando à procura de emprego e, até agora, nunca me perguntaram se tenho filhos. Não sei se é por não ter ar de mãe :). Só sei é que eu própria me senti desconfortável por nunca me terem perguntada e, então, na ultima entrevista a que fui, fiz questão de dizer que tenho um filho. A entrevistadora respondeu q também tinha e que não costumava perguntar por não achar relevante.
De resto, concordo com tudo. Só qd fui mãe percebi o quão estamos em desvantagem. No meu último trabalho (havia apenas mais duas pessoas com filhos), olhavam-me com uma priveligiada que abandonava o barco mais cedo porque tinha de ir buscar o filho :s. Foi tudo tão complicado, e a todos os níveis, que acabei por me demitir.

Mãe da Tiz disse...

Dá mesmo vontade de pergutar directamente :"Você faria essas perguntas, se fosse um homem?"

Raios partam.

Sr disse...

Tens toda a razão, nós mães, somos sempre descriminadas, os entrevistadores Homens que também têm filhos, esqueçem-se por vezes disso porque têm as MULHERES que apesar de descriminadas, ainda cuidam deles. Conheço uma rapariga que não conseguio um emprego porque tinha casado á pouco tempo, logo iria ter filhos brevemente e disseram-lhe mesmo assim na cara, haja paciência.Jokas

Anónimo disse...

Imaginem que têm um(a) empregado(a) doméstico(a) que trata do vosso filho de 14 meses desde que ele nasceu. E agora imaginem o que é essa pessoa dizer-vos que vai suspender as funções durante 6 ou 7 meses. Não acham que é uma informação relevante na atura da contratação?

Tânia disse...

Ai

Sofia,Pedro e Joana disse...

Pois, infelizmente essas questões não são unisexo. Tanto para mais que, de quando a quando, aparecem anúncios a pedir apenas candidatos masculinos...
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Sofia,Pedro e Joana disse...

Pois, infelizmente essas questões não são unisexo. Tanto para mais que, de quando a quando, aparecem anúncios a pedir apenas candidatos masculinos...
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

pimenta rosa disse...

Eu, em Outubro perdi uma belissima oportunidade de estar calada, e comentei eu, por iniciativa minha, que sou mãe... as expressões mudaram automaticamente... eram 2 homens que me estavam a entrevistar!
E logo eu que após uma semana de dar à luz fui a uma entrevista e 2 semanas depois já estava a trabalhar... porque nessa ninguém me perguntou nada.

claudiafiel disse...

mesmo que façam as mesmas perguntas aos homens, que também duvido, é injusto, então não anda o governo a dar incentivos entre aspas, para aumentarmos a natalidade e depois a realidade é esta!!