terça-feira, 23 de setembro de 2008

O meu pequeno ovário e eu

Ontem visitámo-nos, para matar saudades, e eu fiquei tão feliz, animada e cheia de contente com o reencontro e as boas novas que, pensando que era leve como uma borboleta, poderia esvoaçar pelas avenidas novas de Lisboa impune, espalhando alegria por todos os seres vivos, mas não, claro que não!; entretida a enviar sms a contar as novidades aos ventos caí logo à saída do prédio do ginecologista, tudo por causa de um passeio que eu juraria que não existia. Poderia até ter dado um mindinho para atestar a minha crença। Ainda bem que não o fiz, obviamente.
Tive uma dor tão grande no pé que, e porque sou fraquinha e dada a estas velaturas, por instantes - muitos ou poucos, não sei - desmaiei. Quando dei por mim estava a acordar nos braços do Porfírio, um jovem transeunte simpático que me acudiu e assustado ligou para o 112. Era um verdadeiro cavaleiro andante; com uma armadura no maxilar de cima e outra no debaixo, outra ainda mais robusta em frente aos olhos - acho que tinha olhos, não posso garantir porque não via nada definido a mais de 50cms - e isto é tudo quanto me lembro, para além das suas insistentes perguntas para me manter acordada: Como se chama o Presidente da República? (Estive quase para lhe responder Ramalho Eanes, só para descontrair, que ele estava mais aflito que eu, ou pelo menos assim parecia.) Em que ano estamos? Consegue dizer Porfírio três vezes? Diga Porfírio três vezes, DIGA!!! (Ninguém diz Porfírio, quanto mais três vezes - pensei, ainda assim disse-o que sou bem mandada)
Num ápice já estava numa ambulância do INEM aos pulos pela Almirante de Reis a pedir que me atassem à maca para não me esborrachar no tecto e que por favor não perdessem os ovários; leia-se os exames - coitadinha, já nem sabia o que dizia, às vezes faço-me mesmo muita peninha, oh deuses! - aqueles que trago sempre comigo naquela pastinha verde que guardo como a minha própria vida há mais de um ano.
Estive horas em S. José numa maca manobrada pelo meu pai (que entretanto chegou avisado pelo Porfírio "O Salvador", devia agradecer-lhe - a ele e à Xana por me manter a pedicure em dia - não sei como, mas pronto, aqui fica um abraço sentido, pode ser que um dia ele descubra este blog) e muito mal manobrada, diga-se, que uma vez até me atirou contra uma parede e à saída não me conseguiu empurrar a cadeirinha de rodas por aquelas sete simpáticas colinas acima, o que não se percebe, pff, afinal eu ontem estava uma verdadeira borboleta, leve levezinha de tanto júbilo e regozijo. Enfim.
Bom, importa é rematar que afinal o pé não está partido, tenho apenas uma rotura de ligamentos, tenho que repousar, usar uma meia elástica, por gelo de hora a hora, tomar mais remédios, andar de muletas...
Oblá! Mas e agora? Ein? Como faço para cuidar deste Minúsculo confinada um par de muletas??
Enfio-me em casa dos meus pais. Com certeza.
E já estou aborrecida, claro, que a minha mãe não me deixa fazer nada : (

Decidi, portanto, que amanhã já estarei fina.

17 comentários:

Mãe da Tiz disse...

Oh rapariga mas que grande "31" que tu arranjaste... Espero que as dores passem depressa e que possas largar as muletas rápido!
Ainda bem que tens os teus papás perto ;) se fosse comigo nem sei como seria...

beijos***

Mãe da Tiz disse...

A propósito a foto do minúsculo (suponho que seja dele) está o máximo! As always ;)

***

Melissinha disse...

Hmm... Porfírio.
Cheira-me a love.

Gaivota disse...

Já tive que me rir. Não da queda, mas da descrição, claro.

A melhoras (a ti tudo te acontece)

ritaR disse...

as melhoras!
conheço um porfírio, de óculos e porte pequeno.. se reconheces, eu conheço!

Charlotte* disse...

Oh, mas que acidente...!!!
A parte final do relato está com muito sentido de humor:)
Deveriamos abrir um Fã club p/ o Porfírio ; )

Mónica disse...

Bem, Tatas, que filme! O que interessa é que não foi nada grave! Mas realmente, cuidar sozinha desse Minúsculo assim, não sei não! O melhor é aceitar a ajuda da mamã, que é sempre muito bem-vinda :)
Bjinhos e as melhoras rápidas.

Ana disse...

Oh pah..que xatice!!
Mas pronto..se não fosse assim nunca terias conhecido "Porfírio, o Salvador" nem passado pela intensa experiência de viajar dentro de uma ambulância. Aproveita para descansares!
Um beijinho de melhoras!

batata disse...

o maiúsculo ajuda o minúsculo. é para isso que o pai serve ;)

Mafalda disse...

antes de mais, parabéns pelo teu ovário bem sucedido, motivo de tanto júbilo e boa disposição. Segundo, aguenta firme com o pézinho, sem esforços e aproveita o dolce fare niente que os pais proporcionam (porque não servem só para nos chatear a cabeça!)
quanto ao minúsculo, leva-o para ao pé de ti, enche-o de mimos. Vais ver que ficas boa num ápice!
beijos e as melhoras.
adorei a foto :D

gi disse...

coragem, tatas! desejo-te as melhoras. sabes que desde que estejas junto do teu mini-tu, conseguirás ultrapassar qualquer adversidade!!! ele também é super, afinal :') aceita a ajuda dos teus pais, pois isto de ser-se herói é hereditário :) as melhoras rápidas e muitos beijinhos para ti e o teu minúsculo que está lindo nessa fotografia. e tu sempre tiveste pezinhos bonitos lol, mesmo com ligadura. mantém-nos actualizados e aguenta o forte!!! <3

Mamã Pirata disse...

Pensei que estava a ler "um romance" mas afinal é mesmo verdade o Porfirio existe e salva donzelas .

lOLolol...

O que tem graça n é o pé magoado é a descrição "do acidente".

Desejo-te rápidas melhoras e aproveita bem os mimos dos PAIS,do Minúsculo e do Maiúsculo.Afinal tb mereces "férias".

Baggio disse...

Já me tinha interrogado por onde andarias, mas nunca pensei que fosse literalmente aos trambolhões
(e no colo do Porfírio).

Anónimo disse...

um beijinho de melhoras e aproveita a ajuda da mamã (sabe tão bem de vez em quando!!!)
a_tagide

Sofia Quintela disse...

hahahahahaha.... ai Marta, o que eu já me ri... a descrição está demais, às vezes acontecem-nos situações tal e qual tu descreveste, pelo menos a mim, acontece-me muito imaginar coisas desse género em situações tidas como mais sérias, consegui imaginar-te tão bem...

Sónia e MI disse...

LOOOOOOOOOOOL
O que me ri a lêr este post ahahahahahaha

Por pouco não nos cruzamos no S José , eu tb por lá andei :P
As melhoras, linda.

beijos cheios de saudades!

Belita disse...

Que descrição, impagável!
As melhoras!!!!