segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Este Minúsculo,

Este fim-de-semana, entre brincadeiras e falatórios sozinho com os carros e bonecos, começou a falar no Francisco e no António, nomes que eu nunca tinha ouvido.
E o Francisco e o António para cá e o Francisco e o António para lá, no seu discurso meio (muito) atabalhoado dava quase que a entender que eles estavam ali a brincar com ele, e eu: OBLÁ! mas chegámos à fase dos amigos imaginários?
Achei demasiado cedo, dois anos, todos os putos que conheci com amigos destes, família e amigos, tinham todos uns 4 ou 5 ou 6 anos, pelo que fui googlar o assunto para ver se seria possível.
Entre vários sites deparei-me com o texto da wikipedia que diz coisas como: Eles podem aparecer quando a criança passa por momentos de estresse ou de ansiedade, ou situações de estresse, ou de grandes mudanças, ou perdas importantes ou mesmo uma criança solitária sem amor pelos pais que precisa de amigos, que claramente não fazia sentido para este Minúsculo e que, pensando bem, também não fazia sentido para todos os outros putos que conheci com amigos imaginários; bem felizes por sinal, inteligentes e até bastante criativos. Aapesar de saber que a wikipedia não é de todo escrita por especialistas, acho que é uma informação que pode assustar um pouco as pessoas, ou sou eu estou errada e afinal os amigos imaginários são indicadores de patologias tenebrosas?
No entanto hoje já fiquei a saber que, afinal, o Francisco e o António são dois bebés da sala de um ano que ele costuma ir visitar : )

8 comentários:

sofia disse...

Afinal ele quer é um mano bebé!!!! ;)
Ser-se muito criativo é suficiente para arranjar amigos imaginários
Beijinhos

Melissinha disse...

Essa explicação da wikipedia é medonha!
Amigos imaginários são um recurso como outro qualquer para aprender a conviver com as outras pessoas.

Bruno Espadana disse...

Daí ao Senhor Piano é um saltinho, vais ver... :|

Supertatas disse...

ahahhhahahahahaah
o senhor piano : ' )

Sf disse...

Eu ia dizer-te isso, que o mais provavel era serem duas pessoas conhecidas crianças ou a adultas que ele conheceu, ou vê em algum lado, eles são autenticas esponjas e poderia bem ser alguem de um parque ou algo do genero que tu nao tivesses ligado e que ele tivesse fixado os nomes, o meu faz isso a toda a hora, sei sempre que foi alguem que ele conheceu durante a minha ausencia.

Joana disse...

R. começou a ter amigos imaginarios (bebes imaginarios) por volta dos 2 e meio. Mas de tudo o que li sobre o assunto, nunca li nada assim tão assustador... eles têm alguma fonte? vou espreitar!

Melissinha disse...

Só para dizer que tive vários amigos imaginários até razoavelmente tarde e cá estou, normalérrima da cabeça - só um bocado dramática.

gralha disse...

Pois o meu de 2 anos e meio começou a ter amigos imaginários quando nos mudámos para os EUA e ele deixou a família e a escola onde andava desde os 6 meses. Neste caso, não preciso que a Wikipedia me explique nada...