domingo, 15 de fevereiro de 2009

Carta aberta ao Presidente da Câmara de Lisboa


Caro António Costa


Como moradora em Lisboa, compreendo e aceito que a cidade precisava de uma data de obras. As ruas estão um buraco pegado, o trânsito caótico e sem sentido, a zona ribeirinha mal aproveitada, etc.

O que me aborrece é a forma como está a proceder em relação à zona de guerra que criou. Colocar polícias mentecaptos em cada esquina a partir da qual não se pode passar, incapazes de explicar um itinerário alternativo de uma pessoa que mora na zona de confluência das trincheiras que vão ser criadas não é solução.

Hoje à tarde, como mulher previdente que sou, fui experimentar fazer o caminho que normalmente faço para ir trabalhar e deixar o petiz na creche. Por apenas 10 metros inultrapassáveis (sem razão aparente) vou ter de passar a dar uma volta enorme, sujeita ao trânsito que os desgraçados que vêem da Expo criam. O polícia que o senhor colocou na rua dos Fanqueiros, apenas me soube dizer, por trás do seu bigode farfalhudo:

"É assim, não sei porque é que os políticos decidiram isto assim mas olhe, vai ser um grande transtorno nos próximos 6 meses."

Pois vai. Mas eu só queria que ele me dissesse como raio é que eu vou aceder ao parque de estacionamento onde pago 30 € mensais para ir poder trabalhar. Isso ele não me soube explicar. Disse-me que há mapas com itinerários alternativos. Devia-lhe ter dito que não sou arquitecta nem topógrafa e que por isso a anormalidade dos mapas que o Sr. Costa disponibilizou servem-me apenas para a reciclagem. Isto porque eu não sou obrigada a saber que ruas são aquelas que o Sr. Costa não se deu ao trabalho de mandar identificar e mais ainda, de não perceber o imperceptível.

Por isso, Sr. António Costa só lhe queria deixar um agradecimento por tornar possível que a minha vida se torne num inferno nos próximos 6 meses (é melhor contar com um ano ou dois).


11 comentários:

Mãe da Tiz disse...

Que ganda galo! Tava mesmo agora a ver esta notícias no telejornal e a falar cá para com os meus botões que aquilo vai ser td uma grande rebaldaria... e que no minimo demorará 1 ano..
Só te posso desejar boa sorte!

Beijos***

ritaR disse...

tens toda a razão em relação à forma da "coisa" mas, na minha opinião, também interessa o conteúdo. claro que na gestão do espaço público é essencial a boa comunicação e, parece-me, essa não estará a ser muito eficaz.

espero que consigas melhor informação, tanto stress pela menhã (e a qq hora!) é uma chatice :-)

Angi e Bia disse...

...lol...não queria estar no lugar de quem vai ter um "grande" inferno durante os próximos meses...se não for anos...lol...mas existem coisas que tem q ser feitas....e que causam transtorno...
Bjocas

Su disse...

Que grande chatice! Compreendo as obras e até as aplaudo, mas realmente é preciso que a CML faça as coisas com mais cuidado... tenho um amigo na mesma situação que tu, funcionário da própria câmara! Se ele encontrar alternativas, eu venho cá partilhar!

E mandaste mesmo a carta ao Tóni? É que talvez possa haver maneira de contornar esse problema de 10 mt, com boa vontade da parte da câmara! Quem sabe, uma autorização para passar para quem tenha avença no parque, ou assim...

E rezar para que as obras sejam rápidas... na zona que é, nunca se sabe o que pode acontecer...

Bruno Espadana disse...

Há excepções aos polícias mentecaptos - na sexta-feira desci do Chiado em direcção ao Terreiro do Paço e de repente dou com cortes nas ruas da Baixa (algumas ruas já estavam cortadas por causa da repavimentação que estão a aproveitar para fazer também). Perguntei a um polícia como fazia agora para voltar ao Terreiro do Paço e ele não só foi simpático como me disse para ir por um corredor de bus que nem sequer estava assinalado como caminho alternativo, "e se alguém lhe disser alguma coisa, diga que fui eu que ordenei!" - e com esta segurança lá fui, todo contente a violar as regras de trânsito, e mortinho por ter alguém a mandar-me parar para poder dizer "foi o senhor polícia lá de trás que me mandou vir por aqui!...".

Pelo menos desta vez as coisas até foram anunciadas com alguma antecedência, os percursos alternativos já andam a circular há algum tempo, no fim-de-semana havia várias pessoas a distribuir folhetos na marginal, enfim, houve tempo de preparação. O que não quer dizer, e concordo contigo, que os folhetos sejam muito claros - há formas melhores de desenhar aqueles mapas... Mas suponho que também não fosse intenção da Câmara indicar ruas precisas, mas mais indicar direcções genéricas, do tipo "em vez de ir pela marginal, suba pela Infante Santo, siga para o Rato, daí para o Marquês, depois para o Saldanha e daí para o Campo Grande". A partir daí cada pessoa escolherá o caminho exacto que preferir.

Enfim, não sei se haveria sequer uma forma fácil de fazer isto, acho que seria impossível não causar transtorno a muita gente. O máximo que se consegue é tentar pelo menos minimizar.

Anónimo disse...

Olá
Não obstante o facto de CONCORDAR CONSIGO A 100%, venho aqui «defender» a parte que me toca quanto aos «polícias mentecaptos».

Já se perguntou alguma vez, se aquele polícia era da área de Lisboa de forma a poder esclarecê-la? Já se perguntou se alguém o esclareceu a ele ou ela?
ou sequer se ele ou ela foram informados pela esquadra que iriam para uma zona completamente diferente da dele ou dela e que não iria sequer ser pago(a) para fazer horas estraordinárias, pensando que também tem filhos e mulheres para levar e deixar? e que ainda teria que «aturar o stress (e má educação) de pessoas com razão que querem caminhos alternativos condignamente feitos?»

Sem querer ferir susceptibilidades, cada profissão tem bons e maus profissionais, não é por isso que teremos que globalizar!! E se globalizamos, era mais bonito fazê-lo pela positiva! Ninguém gosta de ser comparado ao mau, quando não faz parte da maioria do grupo...

Tendo em conta quem é polícia, se cumpre o trabalho está a prejudicar o cidadão (nem sempre) «cumpridor» e não «anda atrás dos ladrões», e se não cumpre «não faz nada» «só chateia!»

A ver se se respeita mais certas e determinadas profissões, não desprestigiando, quem todos os dias tem de vestir uma farda e ouvir ofensas e agressões, muitas vezes junto de filhos, esposas, maridos, etc.

No intanto repito, a zona de Lisboa necessita de reabilitação, mas já percebemos que não a irão fazer como deve ser...
P.N.M.

Sofia,Pedro e Joana disse...

Olá querida Sara, realmente vão ser 6 meses algo caóticos...havemos de sobreviver!
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Piri-piri - 0 a 10 anos disse...

Eu, que moro no largo de S. Paulo, também não percebi bem quais eram as ruas onde se podiam passar, pois a única coisa que recebemos foi um folheto no correio muito mais minimalista do que os desenhos que a Sara tem aqui.

Princesa Tilly disse...

helloooo, bem, não dá para comentar a coisa ridicula que se está a passar em Lisboa... porque que não fazem uma rua de cada vez?? porque que não arranjam mais trabalhadores para acelarar a obra????? eu em vez de demorar o tempo habitual na A5 do Estoril a Lisboa, demoro mais 30 minutos por causa daqueles que não têm alternativa e fogem para a A5. ODEIO LISBOAAAAAAAAAAA, e nasci cá... como é possível??? Depois que nem venham falar dos transportes públicos, pois são péssimos... kissssssssss e desculpa o desabafo

Anónimo disse...

este costa nao serve. fui dar uma volta por lisboa nesta manha e a cidade esta parada, os predios devolutos, o comercio abandonado, as ruas cheias de buracos. o lixo acumula-se nas imediações das zonas historicas da cidade. à noite, a cidade perdeu a vida.
eu votei soares em 2001, carmona em 2005 e antonio costa em 2007. este ano, sou forçado a votar no santana lopes! porque por causa do tunel do marques demoro 12/14 minutos a chegar ao emprego e antes demorava cerca de 50/1 hora. este costa nao serve!...
peço desculpa aos lisboetas por ter votado nele.

Vitor Teixeira

Bruno Espadana disse...

E pronto - não chegou sequer a demorar 6 meses. Aliás, o trânsito reabre uns dias antes de fazer 5 meses! É um recorde de eficiência em obras públicas neste país! :)
http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1257545